01 julho 2008

A Filosofia e seu Ensino

Filosofia e seu ensino é o título de um livro que reúne os trabalhos de cinco renomados pensadores de filosofia no Brasil. São eles: Paulo Eduardo Arantes, Franklin Leopoldo e Silva, Celso Fernando Favaretto, Ricardo Nascimento Fabbrini e Salma Tannus Muchail. As palestras foram proferidas durante a "Semana de Filosofia", promovida pelo Departamento de Filosofia da PUC-SP, realizada entre 24 e 27 de setembro de 1991, cujo tema central foi o mesmo que enfeixa o livro.

Franklin Leopoldo e Silva, do Departamento de Filosofia da USP, falou sobre a "Função Social do Filósofo". Em sua análise, perpassa toda a história da filosofia, salientando as contribuições de Platão, Descartes, Pascal e outros. No Mito da Caverna de Platão, elabora sobre a volta para a caverna daquele que obteve a luz do conhecimento. Em Descartes, enaltece o racionalismo que propiciou todo desenvolvimento técnico-científico posterior. Em Pascal, discorre sobre a transcendência de Deus e a forma religiosa de impor um comportamento ao ser humano.

Paulo Eduardo Arantes, com o tema "Cruz Costa, Bento Prado Jr. e o Problema da Filosofia no Brasil – uma Digressão", trata da cultura importada. Parte da frase "No Brasil, a falta de assunto em filosofia é quase uma fatalidade" para nos mostrar que somos dependentes do exterior em matéria de pensamento filosófico. A sua palestra teve como objetivo principal fazer uma crítica à inflação de obras literárias em contraste com as minguadas em filosofia. Para ele, os filósofos brasileiros deveriam deixar de ser tímidos, pois esta postura impede a produção de obras de grande alcance para cultura filosófica brasileira.

Salma Tannus Muchail, do Departamento de Filosofia – PUC-SP, com o tema "Ler, Escrever, Pensar (Notas sobre o ensino da filosofia)" trata da organização dos cursos de graduação em Filosofia e as dificuldades de consenso entre posturas muitas vezes controversas. Tendo como ponto de referência a USP, a UNICAMP, a PUC-SP e a UFRJ, destaca os vários pontos concernentes a essa dificuldade inicial. Lembra-nos do princípio da flexibilidade e da diversidade, dos objetivos da formação de professores para o 2.º grau, do adestramento para as pesquisas e o do quadro curricular mínimo.

Celso F. Favaretto, da Faculdade da Educação –USP, com o tema "Notas sobre o Ensino de Filosofia" e Ricardo N. Fabbrini, do Departamento de Filosofia – PUC-SP, com o tema "Ensino de Filosofia no 2.º Grau: uma "Língua de Segurança"", destacam a dinâmica no ensino de filosofia, em que a desconstrução e reconstrução do saber assumem papel relevante, pois em Filosofia não há progresso, no sentido linear e ascendente do termo, mas um revisitar e problematizar constantemente os temas escolhidos

Exercitemos o pensamento filosófico, pois é dele que recebemos a força necessária para a edificação de uma atitude mais aberta e mais de acordo com a realidade que nos circunscreve.

Fonte de Consulta

ARANTES, P. (et all). Filosofia e seu Ensino. 2. ed., Petrópolis, RJ; São Paulo: EDUC, 1995. (Série eventos)

São Paulo, 22/8/2003

Nenhum comentário: