14 março 2011

Máximas para o Uso do Pensamento

Kant, na Critica da Faculdade do Juízo, propõe-nos três máximas para o uso do pensamento.

1. Pensar por si mesmo. É a máxima do pensamento autônomo (Sapere Aude!). Aqui a razão nunca deve ser passiva. O pensamento não deve se contentar com o “ouvi dizer”. Tem que ir adiante em busca de novas luzes, de novas inspirações. Para isso, a leitura e a pesquisa em enciclopédias são de suma importância.

2. Pensar colocando-se no lugar do outro. É a máxima da substituição do ponto de vista pessoal. Este é, por natureza, estreito, limitado. Há necessidade de ampliá-lo. O outro também tem razão. Ele também pesquisa, pensa, raciocina. Devemos ouvi-lo, mesmo que não aceitemos as suas teses. “É possível que eu esteja errado” é de suma importância nesta hora.

3. Pensar de acordo consigo mesmo. É a máxima de ser consequente. O pensamento deve saber explicar, justificar, fundamentar. Como a palavra explicar quer dizer desdobrar, pensar de acordo consigo mesmo é procurar explicar as coisas com as próprias palavras. Se uma palavra do diálogo é de difícil entendimento, urge procurar outra para que o interlocutor possa entender o que estamos querendo explicar.

Fonte de Consulta

RAFFIN, Françoise. Pequena Introdução à Filosofia. Tradução de Constância Morel e Ana Flaksman. Rio de Janeiro: FGV, 2009. (Coleção FGV de bolso. Série Filosofia)

Nenhum comentário: