14 outubro 2011

Modos não Confiáveis de Descobrir a Verdade

Verdade por adágio. Ao confiarmos demasiadamente nos ditados populares, o nosso pensamento pode estar em erro. Muitos deles são profundos e contêm parte da verdade, mas não a verdade total. Exemplo: “Não se pode ensinar truques novos a cachorros velhos”. A frase refere-se a pessoas idosas. Há, contudo, pessoas idosas com grande capacidade de aprendizado. O erro deste ditado está na generalização precipitada, pois se presume, conforme o texto, que nunca se pode ensinar algo novo às pessoas idosas.

Verdade por autoridade. Aceitar que uma declaração é verdadeira porque uma autoridade a disse. Em muitos aspectos de nossa vida, devemos nos valer de especialistas, principalmente os ligados à medicina. Agora, aceitar que uma afirmação filosófica seja verdadeira, porque um filósofo famoso a disse, vai grande distância.

Verdade por consenso. Tomar afirmações como verdadeiras simplesmente porque há sobre elas uma concordância generalizada. A história nos mostra os grandes erros, cometidos pela população, que depois foram corrigidos pelos livres pensadores. Onde não há consenso, um método ainda menos confiável para determinar a verdade é basear-se na opinião majoritária. Sobre questões capitais, a maioria pode estar desinformada.

Fonte: WARBURTON, Nigel. Pensamento Crítico de A a Z: Uma Introdução Filosófica. Tradução de Eduardo Francisco Alves. Rio de Janeiro: José Olympio, 2011.

Nenhum comentário: