24 abril 2018

Pré-Socráticos: Quatro Termos

Folheando o livro Filósofos Pré-Socráticos, de Jonathan Barnes, pela editora Martins Fontes, deparamo-nos com quatro termos (kosmos, physis, arche e logos). Façamos algumas anotações.

Kosmos. É o universo ou o próprio mundo. Daí, a cosmologia. Os gregos, daquela época, tinham necessidade de criar um termo que representasse o universo e o mundo todo. O substantivo kosmos deriva de um verbo cujo significado é "ordenar", "arranjar", "comandar". Um kosmos é um arranjo ordenado e, além disso, dotado de beleza. Deduziam que, sendo ordenado e belo, deveria ser também, em princípio, explicável. Curiosidade: cosmético (termo moderno) deriva de kosmos.

Physis, ou "natureza". O termo deriva de um verbo cujo significado é "crescer". Ao aludirmos ao physis, estamos querendo distinguir o mundo natural (physis) do mundo artificial (techne). Carroça é artificial; árvore, natural. Essa distinção não esgota o significado do conceito "natureza". Em determinado sentido, "natureza" designa a soma de objetos naturais e eventos naturais. Physis se presta, também, a denotar algo existente em cada objeto natural.

Arché. A noção de princípio ou origem das coisas leva-nos ao arché que, pode significar "começar", "iniciar", como também "reger", "dirigir". Arché é uma origem que tem uma regra ou princípio. Quais são os princípios do desenvolvimento, a origem dos fenômenos naturais? Qual é a origem do kosmos? Para Tales de Mileto, o arché do cosmos é a água. Quer dizer, tudo no universo tem por base a água.

Logos. Sua tradução é problemática. É cognato do verbo legein, que normalmente significa "enunciar" ou "afirmar". Meu logos é aquilo que quero afirmar. Apresentar um logos ou um relato de algo é explicá-lo, o que se deduz que logos é uma razão. Quando afirmamos que um homem inteligente é capaz de apresentar um logos das coisas, estamos querendo dizer que ele é capaz não só de descrever as coisas como explicá-las, ou apresentar a razão das coisas.

Os pré-socráticos, embora rudimentarmente, já faziam uso do método experimental, dando muita ênfase ao uso da razão, do racional, da argumentação.

Nenhum comentário: