23 janeiro 2015

Educação

Educação é um processo lento de crescimento do espírito, em que o sujeito cognoscente adquire conhecimento, experiência e ideias para desenvolver-se e vencer os desafios da existência. Por sua natureza, a educação é um diálogo, em que os mais experientes transmitem conhecimentos às gerações mais novas. Não se trata de moldar os jovens, como se molda a argila, mas de prepará-los para o futuro, para desabrochar toda a sua potencialidade.

Antigamente, a educação era reservada às classes dirigentes. Hoje, a educação formal, além de gratuita, deve ser universal, para todos. A Bíblia representa o processo de educação de um povo. No período do Novo Testamento, Cristo foi o educador por excelência. 

Jesus Cristo, para educar o povo, recorreu à pedagogia da época, fazendo uso de parábolas, alegorias e hipérboles. A sua principal tarefa foi a de instruir os rudes pescadores, para que dessem prosseguimento à sua obra. Formar uma minoria comprometida com o projeto, com o ideal do Evangelho. 

A didática do Cristo: abaixar-se para conseguir a adesão dos discípulos. Ensinar o povo para o povo. "Não conseguiu a sua autoridade com base em títulos de família ou privilégios econômicos. As pessoas o viam como alguém superior mas ao mesmo tempo próximo, como alguém poderoso mas sempre disposto ao amor e ao diálogo. Ao contrário dos falsos educadores, que procuram mais o seu êxito pessoal que os dos educandos, Cristo transmitiu sua mensagem com o testemunho de sua vida e de sua morte, dando assim a suprema lição do verdadeiro".

O Evangelho não propõe uma educação impositiva. Em realidade, é uma diálogo que se abre entre o Mestre e os seus discípulos. 

Fonte de Consulta

IDÍGORAS, J. L. Vocabulário Teológico para a América Latina. São Paulo: Paulinas, 1983.

Nenhum comentário: