04 maio 2018

Fim da História?

"Marx acredita que a evolução das sociedades humanas não era ilimitada." (Francis Fukuyama)

O que é a história? Ela acabará? Qual o significado do termo "fim da história"? A história é um ramo do conhecimento que registra e explica os fatos passados. Ela dá às pessoas a oportunidade de vivenciar, não diretamente, eventos já esquecidos. John F. Kennedy, presidente americano (1961-1963), dizia que a história não tem presente, apenas o passado correndo para o futuro. Antes da invenção da escrita, a história era oral. Em termos históricos, Heródoto (484-435 a.C.) é apontado como o primeiro ser humano a criar uma obra histórica (as Histórias).

O termo "fim da história" refere-se a uma proposição da filosofia política, segundo a qual a humanidade já teria atingido o máximo de seu desenvolvimento econômico e social. Essa apoteose se deu em função da democracia liberal ocidental.

O termo "fim da história" foi cunhado, em 1989, por Francis Fukuyama, economista e cientista. Marx e Hegel há haviam especulado sobre o fim da História. Marx achava que a história terminaria  no comunismo; Hegel, que a história terminaria num Estado Liberal. A teoria ganhou nova vida quando Fukuyama, em 1989, expôs a sua teoria num artigo intitulado "Fim da História?".

Os acontecimentos continuarão a ocorrer. Mas a evolução substancial terminará quando todos os governos convergirem para a democracia liberal ocidental. Essa teoria teve implicações importantes e controversas, principalmente no tocante ao comunismo. Jacques Derrida (1930-2004), filósofo francês, comparou a teoria a um "Novo Evangelho" reforçando a escatologia cristã. Perry Anderson (n. 1938), historiador britânico, por sua vez, afirma que as democracias liberais ocidentais ainda estão repletas de pobreza, sofrimento e injustiça.

Lembremo-nos de que a história é uma recuperação do ocorrido. Esses resgates estão fadados a ser parcial quando projetado do ponto de vista contemporâneo. Acrescentemos também que cada geração concebe seus precursores de uma nova perspectiva.

Fonte de Consulta

ARP, Robert (Editor). 1001 Ideias que Mudaram a Nossa Forma de Pensar. Tradução Andre Fiker, Ivo Korytowski, Bruno Alexander, Paulo Polzonoff Jr e Pedro Jorgensen. Rio de Janeiro: Sextante, 2014.

Nenhum comentário: