25 fevereiro 2015

Psicanálise e Símbolo

FotoA psicanálise, método psicoterápico criado por Sigmund Freud no fim do século XIX, tem por base a cura das desordens nervosas, originadas por impulsos reprimidos que estão no subconsciente. Para explorar o que está submerso e trazê-lo ao nível do consciente, usa primeiramente as técnicas de hipnose. Sendo esta pouco eficiente, pois muitos não se deixavam hipnotizar, substitui-a pela "sugestão", que é uma espécie de associação livre de ideais.


Segundo Freud, o consciente é uma pequena superfície ao passo que o subconsciente é bem amplo. Quando o consciente capta um conhecimento ou recebe um impulso, retém somente o essencial. Mas, no subconsciente ficam gravadas as particularidades, as quais procuram emergir através dos sonhos e os sintomas de neuroses. 

Inicialmente, os estudos da psicanálise restringiam-se ao campo da histeria. Depois, estendeu-se a todas as doenças psíquicas bem como a estados e processos psicossomáticos. No entanto, o tratamento de distúrbios psíquicos, nos quais conflitos não resolvidos se manifestam como substitutos simbólicos de conteúdos psíquicos reprimidos, faz com que o símbolo e sua significação assumam papel relevante da psicanálise. 

Na psicanálise, os sonhos e os sintomas doentios alojados no inconsciente são representados no consciente indiretamente por meio de imagens análogas. Por isso, a técnica de associação livre e o registro de todos os disfarces simbólicos da linguagem durante a sessão de psicanálise, no sentido de vencer a resistência que rejeita a conscientização. 

A psicanálise dá ênfase a interpretações sexuais dos símbolos, uma vez que , segundo Freud, conteúdos reprimidos cobrem sobretudo o campo da sexualidade. 


Fonte de Consulta

LURKER, Manfred. Dicionário de Simbologia. Tradução Mário Krauss e Vera Barkow. 2. ed., São Paulo: Martins Fontes, 2003.

Nenhum comentário: