26 novembro 2014

Cérebro: Fatos e Crenças

No livro O Novo Cérebro, o Dr. Nélson Spritzer diz que não vai tratar da auto-ajuda, mas da auto-propulsão, pois para ele não existe o acaso, mas a sincronicidade. 


Começa afirmando que o nosso cérebro pode ser comparado ao funcionamento de um computador: os programas são crenças e sistemas lógicos gerados na mente. As crenças e os sistemas lógicos operam nosso hardware, o cérebro. 

O problema dos fatos e das crenças. 

Qual a diferença entre fatos e crenças? Fatos não se discute, se aceita. Quando você menciona somente os fatos, a possibilidade de aceitação é imediata. Em realidade, discutimos sobre crenças.

Fatos são como as coisas são e crenças são o que pensamos sobre os fatos. O que nos limita na vida, ou nos torna pessoas de sucesso, são nossas crenças sobre os fatos e não os fatos em si: os fatos são neutros. Não são bons nem ruins. O modo como cremos sobre eles faz toda a diferença. 

As crenças podem ser racionais e irracionais. 

Para ele, quem usa crenças irracionais exerce muito controle sobre nós. Observe os grandes ditadores:

Hitler difundia a crença da "superioridade da raça ariana", a crença do IIIº Reich, a crença dos "inimigos do povo" - os judeus.

Stalin enfatizava a crença da conspiração revisionista dos inimigos do regime.

Mao preconizava a sua Revolução Cultural.

O grandes líderes, religiosos ou não, também lidavam com as crenças das pessoas: Jesus, Maomé, Moisés, Martin Luther King, Gandhi.

Acha que quando nos decidimos por algo, usamos primeiro a emoção e depois a razão para justificar. 

O Dr. Nélson Spritzer é médico, Mestre em Cardiologia (UFGRS) e Doutor em Nefrologia (Escola Paulista de Medicina), com inúmeros trabalhos científicos apresentados e publicados no Brasil e no exterior, incluindo prêmios internacionais por pesquisas científicas originais na área da Cardiologia. 

SPRITZER, Dr. Nélson. O Novo Cérebro: Como Criar Resultados Inteligentes. Porto Alegre: L&PM, 1995.


Nenhum comentário: