14 setembro 2011

Ceticismo e Termos Correlatos

O ceticismo é a doutrina filosófica que tem a dúvida como carro-chefe. Apregoa que o conhecimento do real é impossível à razão humana. Nesse caso, devemos renunciar à certeza, suspender o juízo e submeter toda afirmação a uma dúvida constante.

Há dois tipos céticos: 1) o sistemático; 2) o moderado. O cético sistemático sustenta a impossibilidade da razão humana de conhecer as coisas; por isso, duvida de tudo. O cético moderado inclui a dúvida em seu método de pesquisa (muito usado pelos cientistas).

Alguns de seus termos correlatos: dogmatismo, agnosticismo, crítica e crise. O dogmatismo admite a capacidade de o homem atingir a certeza absoluta. Desta maneira, opõe-se ao ceticismo (que não admite tal possibilidade). Lembremo-nos de que os grandes filósofos (na sua maioria) são dogmáticos. Por quê? Quem pode duvidar da demonstração de um teorema, da exatidão de uma fórmula matemática, ou mesmo do próprio existir?

O agnosticismo é uma versão do ceticismo radical, pois nega a possibilidade de se conhecer os fatos como eles realmente são. Na religião, é a suspensão de toda crença religiosa. Diz-se, inclusive, que o agnóstico é um ateu envergonhado que tem medo de ser acusado de dogmático.

A crítica é um termo ambíguo, pois comporta uma interpretação filosófica (espírito crítico) e uma pejorativa (voltada para os defeitos). Deveríamos, assim, duvidar com o espírito crítico e não com o espírito de crítica. O espírito crítico avalia, sopesa, pondera, busca argumentos lógicos para a sua decisão. O espírito de crítica está sempre pronto a criticar por criticar.

Crise. Na antiguidade correspondia à fase terminal de uma doença. Hoje, significa um momento de desequilíbrio sensível. Fala-se, assim, da “crise do determinismo”, “crise do Ocidente” do século XX. Em Economia, há a crise por insuficiência de produção (crise de 1929) e crise por superprodução.

Resumindo: o ceticismo, fundamentando-se na dúvida, leva-nos ao dogmatismo, ao agnosticismo, à crítica e à problematização da certeza (que tínhamos dos conhecimentos adquiridos ao longo do tempo).

Nenhum comentário: