06 abril 2011

Símbolo atrás das Palavras

O símbolo é o sinal (figura, imagem, palavra etc.) que serve para designar alguma coisa. Diante dessa definição, percebemos que algumas palavras já nos soam como símbolos e não temos muita dúvida a respeito. Outras, porém, são mais difíceis de se detectar a sua simbologia implícita. Teçamos alguns comentários a respeito.

Quanto dizemos que o cão é o símbolo da fidelidade, a oliveira é o símbolo da paz, a cruz é o símbolo de redenção e o pão e o vinho são símbolos do corpo e sangue de Cristo, isso não nos causa nenhuma surpresa, porque estamos acostumados com esses termos. Digamos, agora, que a propaganda e o protestantismo são, também, termos simbólicos. Mas como? Perguntaríamos.

Tomemos a palavra propaganda. Diante dela, pensamos na influência planejada nas camadas de compradores em potencial, influência esta exercida pelas imagens veiculadas pela mídia. Acontece que, por detrás da imagem, há sentimentos e opiniões, conscientes e inconscientes do consumidor, correspondendo às mais variadas formas de desejo: posse, prestígio, saúde, riqueza, status etc. O símbolo surge quando vinculamos esse desejo à coroa de um rei ou de uma rainha, ou seja, acrescentamos valor à imagem. Quando, então, o comprador adquire este bem, ele tem a impressão que está acima do ser comum, transforma-se imaginariamente no rei ou na rainha.

Um outro exemplo, o protestantismo. Ele foi um protesto contra determinadas formas de culto do fim da Idade Média. Embora condene o símbolo sacrificial da missa católica, não resta dúvida que criou, também, a sua simbologia. Isto porque nenhum culto religioso deixará de ter uma forma material para comunicar os seus ensinamentos.

Anotemos: os símbolos convivem conosco; influenciam-nos sobremaneira, sem o percebermos.

Nenhum comentário: