06 março 2009

Karl Popper e suas Críticas

Karl Popper, em A Lógica das Ciências Sociais, critica alguns filósofos e o que ele entende por não filosofia. Para ele, os filósofos não são um tipo especial de pessoa. Qualquer ser humano pode tornar-se filósofo. Mas apesar disso existe uma "elite filosófica".

Crítica aos filósofos:

Platão errou ao acreditar no "filósofo-rei" (entendia-o como um ser especial).

Hume teria se enganado ao afirmar que a razão é escrava da paixão.

Spinoza era extremista e seu racionalismo teria sido levado a conclusões erradas.

Kant falhou, mas o admira, bem como aos outros. Porém chega a afirmar que não produziram coisas boas.

Karl Popper diz o que não é a filosofia.

A filosofia não seria a resolução de quebra-cabeças (jogos) de linguagem, nem tampouco um trabalho artístico. Popper diz ser partidário da audácia intelectual. 

A filosofia não é uma tentativa de explicar linguagens ou conceitos, nem uma "maneira de ser esperto".

Depreende-se que a Filosofia é, em suma, a busca da verdade.

Esclarecer, reformular, explicar, interpretar, buscar consistência, dar definições, buscar pressuposições subjacentes, avaliar de forma justa e estabelecer uma crítica são inerentes ao próprio pensar, não exclusividade do filosofar.

Filosofar não é somente "raciocinar", "calcular" e "argumentar". Tem a ver com a própria vida.

Nenhum comentário: